20 outubro 2007

HOJE É O DIA DA COVILHÃ

A Covilhã é uma cidade portuguesa, porta da Serra da Estrela, é a terra da indústria da lã, berço de descobridores de quinhentos, hoje uma Cidade com Universidade pública.

A Covilhã pertence ao Distrito de Castelo Branco, estando situada no eixo Norte-Sul entre esta e outra capital de Distrito a Norte (Cidade da Guarda). Na vertente sudeste da Serra da Estrela, a Covilhã (cujo Concelho totaliza 54.506 hab.) é um centro urbano de relevo no interior do País. A cidade está localizada a 19,4 Km do ponto mais alto de Portugal Continental, a Torre (1.993 m) e o seu núcleo urbano estende-se entre os 450 e os 800 m de altitude. É uma cidade de características próprias desde há séculos, conjugando em simultâneo factos únicos na realidade portuguesa.
O passado da Covilhã remonta ao princípio dos tempos, quando foi castro proto-histórico, abrigo de pastores lusitanos e fortaleza romana conhecida por Cava Juliana ou Silia Hermínia. Quem ergueu as muralhas do seu primitivo castelo foi D. Sancho I que em 1186 concedeu foral à Covilhã. E, mais tarde, foi D. Dinis que mandou construir as muralhas do admirável bairro medieval das Portas do Sol.
Era já na Idade Média uma das principais "vilas do reino", situação em seguida confirmada pelo facto de grandes figuras naturais da cidade ou dos arredores se terem tornado determinantes em todos os grandes Descobrimentos dos sécs. XV e XVI: o avanço no Oceano Atlântico, o caminho marítimo para a Índia, as descobertas da América e do Brasil, a primeira viagem de circum-navegação da Terra.

As duas ribeiras que descem da Serra da Estrela, Carpinteira e Degoldra, atravessam o núcleo urbano e estiveram na génese do desenvolvimento industrial.
Elas forneciam a energia hidráulica que permitiam o laborar das fábricas. Junto a essas duas ribeiras deve hoje ser visto um admirável núcleo de arqueologia industrial, composto por dezenas de grandes edifícios.
Nos dois locais são visíveis dezenas de antigas unidades, de entre as quais se referem a fábrica-escola fundada pelo Conde da Ericeira em 1681 junto à Carpinteira e a Real Fábrica dos Panos criada pelo Marquês de Pombal em 1763 junto à ribeira da Degoldra. Esta é agora a sede da Universidade da Beira Interior na qual se deve visitar o Museu de Lanifícios, já considerado um dos melhores núcleos museológicos desta indústria na Europa.

A Covilhã foi elevada à condição de cidade a 20 de Outubro de 1870 pelo Rei D. Luís I.

Situada na parte sul da Serra da Estrela, a área urbana da Covilhã possui altitudes que variam de 450 a 800 metros e localiza-se cerca de 20km do ponto mais alto de Portugal continental, a Torre (1.993 metros), situada no município de Seia.

O clima do município é temperado, com relativa influência mediterrânea, sendo que as precipitações são mais escassas no verão. Os verões apresentam temperaturas amenas, enquanto os invernos têm temperaturas baixas. O frio aumenta conforme a altitude, variando de temperaturas amenas nas partes mais baixas a temperaturas negativas e ocorrência de neve nas partes mais elevadas, como a localidade de Penhas da Saúde, situada na freguesia de Cortes do Meio, acima de 1.500 metros de altitude, a apenas 9km da Torre. ( Wikipédia )
Sem dúvida nenhuma uma Cidade que vale a pena conhecer, não por ser a minha Cidade, a Cidade onde nasci, a Cidade onde moro, mas porque nos oferece paisagens maravilhosas e dignas de qualquer postal. Portanto, para quem não conhece, deixo o convite, venham visitar a Covilhã, não se arrependerão...

5 comentários:

portuense disse...

Post interessante sobre a t/Cidade
Muitos parabens a todos os que nela
moram, e q a desfrutem + no s/ dia!
Fico a dever essa visita s/ duvida.

manuela disse...

Mas que trabalheira.
Depois de dois dias sem escrever...
Eu conheço alguma coisa da Covilhã, o campo de futebol, a praça principal, duas ou três Igrejas bem bonitas por sinal.
E aquele prédio alto que se vê de todo o lado.
Não conheço mais porque não gosto de subidas e na sua terra só de escada rolante, gosto mais de Figueira de Castelo Rodrigo, pois é tudo plano.Tem de lá ir beber umas cervejas, ok?
Ah e ser do Benfica não quer dizer que não lhe dê amizade, até é bom embirrar com alguém de vez em quando.
Olhe hoje pode gozar comigo pois já são dois a perder com o Fátima.
Aquilo ali, deve ser da água benta.
Abraço
Manuela

Nanny disse...

Já visitei várias vezes e gosto muito! Agora então com a A23 é um tirinho... ainda me lembro de sofrer bem para aí chegar... :P

Beijocas

Gaja Boa 2 disse...

Por falar em covilhã
Aconselho-te a ires ao teatro daí ver a peça de Moliere que está em cena. Fui à estreia....bjs

Onda disse...

eheh..ganda terrinha a nossa covilha...sem esquecer os arredores.(tortosendo) e vivam os beiroes! os bolos da festa! e muito...mto mais...

Catanices muita lindas:

Blog Widget by LinkWithin