04 maio 2011

Foi lindo, não foi?

Fiquei de tal maneira emocionado e descansado com o discurso de ontem do Zé, muito bem acompanhado pelo Homem-Estátua, que só hoje tomei coragem para me pronunciar acerca daquela "cena" a que assistimos no intervalo do Barcelona-Real Madrid. E para mim aquilo não passou de uma grande palhaçada. Só que desta vez foi uma palhaçada sem direito a ouvir o belo do Pavão a rir-se do Zé.

Para já ele sabia que o pessoal estava em frente à televisão àquela hora para ver o futebol, logo era mais fácil e provável que mais gente o ouvisse. Depois, aproveitou e deu logo início ali à sua campanha eleitoral. E por último um programazito de stand up comedy é sempre bom de ouvir, mesmo que o comediante não valha um chavelho. Mas nota-se que o homem nos quer por bem dispostos! Quer dizer, a troika chegou cá e baixou as calcinhas ao PEC4. Toma troika!!! Mama com ele...


Pessoalmente e como desempregado que estou (trabalho ocupacional), só tenho que ficar satisfeito com o que ouvi. Não vão cortar o subsídio de férias. Ainda bem, sinceramente!..., mas como eu já não o tenho..., não vão cortar o subsídio de Natal..., óptimo!..., mas mesmo assim, eu nem o cheiro...
Vão cortar nos subsídios dos desempregados. Ora ai está uma medida que me interessa. De facto são os que menos precisam! Eu, sinceramente já nem sei que fazer ao dinheiro que recebo do subsídio. Até ando a pensar em doar parte para ajudar a pagar os submarinos. Sempre poderei dizer que pelo menos uma parte do periscópio é meu, e um dia mais tarde quando não tiver dinheiro para renovar as lentes dos óculos, pedi-lo para o usar como monóculo. Como podem ver é um investimento para o futuro!

Por último, dizer ao homem-estátua que lá estava ao lado, que sempre pode optar por comprar um Luís (acho que na loja dos chineses também os vendem), com todo o respeito que tenho pelos Luíses. É que desse modo sempre se vai virando de dez em dez minutos para a esquerda e para a direita, por indicação do Luís. Dão sempre jeito, senão vejam a desenvoltura com que o Zé se vira de um lado para o outro, e pede opinião ao seu Luís...

Estamos bem entregues..., estamos, estamos!!!

11 comentários:

Ana Silva disse...

E diz-me uma coisa, estás interessado em arranjar trabalho ou para ti tem mesmo que ser um emprego? Ou seja, uma boa remuneração e passar o dia todo de papo para o ar.
E depois, estar em casa, sem fazer nadinha, a receber subsídio de desemprego é o sonho de qualquer preguiçoso.

Zé Pedro disse...

Cara Ana Silva,

Não sei se percebeu a intenção do post, mas cheira-me que não!!!

Primeiro, não sei onde leu neste post a palavra emprego! Trabalho pode ter lido, agora emprego, não...,e caso não tenha dado conta, estou desempregado mas estou a trabalhar 8 horas por dia a título ocupacional. Aquelas coisas que o Governo arranja para baixar as estatísticas do desemprego..., e pode ter a certeza que trabalho mais eu nessas 8 horas do que muito linguarudo que está bem empregado e a ganhar mais do que os 20% que recebo desse trabalho ocupacional!

Para mim, que tenho uma família para sustentar, pode ser mesmo um trabalho e de preferência que em possa utilizar as minhas capacidades em prol da sociedade. E lhe garanto, se todos levassem o seu trabalho a sério como eu levo, isto não estaria como está!

Trabalhei 19 anos na mesma empresa, mas trabalhei!!!

Espero que com tanta lábia, pelo menos faça algo de útil...

Abraço do Catano!!!

Miguel disse...

Digo-te uma coisa... Eu sou jovem, cheio de energia e vontade, e sou muito bom no que faço. Felizmente, eu é que escolhi em que empresa trabalhar, e estou numa empresa mt boa... Mas mesmo assim, chego a casa e arrebento a minha cabeça em projectos meus... Sim, ando a lutar para criar a minha empresa.

O que fazias tu depois do trabalho?

Sei que é complicado trabalhar 20 ou 40 anos na mesma empresa e depois vir para a rua. Mas vocês tb não QUISERAM SABER. Alguma vez te preocupaste em formar-te? Em tentar valorizar-te de forma a teres um futuro mais assegurado?

Ou pensas que tb n me custa chegar a casa cansado e ainda queimar mais a cabeça??? Quando os outros jovens saem à noite e vão a concertos, dizendo depois que estão à rasca...

Sócrates disse...

É precisamente por causa desta gentinha como o Zé Pedro, que está a receber ordenado e ainda a acumular ILEGALMENTE o subsídio de desemprego, que o país está como está.
Se ele não perdesse tanto tempo com parvoíces, talvez a sua familia não tivesse que sofrer com a sua falta de responsabilidade.

Zé Pedro disse...

Ó Sócrates, com um nome desses nem sequer mereces resposta.

De todas as maneiras para leres essas parvoíces deves ter muito que fazer...

Abraço do Catano!!!

Zé Pedro disse...

Miguel,

Em primeiro queria-te dar os parabéns por seres dos poucos que escolhe onde quer trabalhar! Acredito que sejas bom no que fazes e ainda bem que assim é..., deveriam ser todos assim!

O teu empreendedorismo também é de louvar, agora "NÃO QUISERAM SABER",..., que sabes tu para dizer uma coisa dessas?

Não tenho que dar aqui justificações das minhas opções de vida, mas sim, sempre dei valor à minha formação quer como pessoa, quer profissionalmente. Sempre me considerei um auto-didacta, e todos os dias faço por isso.

Não sou formado, mas não é por isso que me sinto inferior a quem o é! Muitos deles nem sequer sabem como têm o canudo na mão, e depois de o terem fazem o manguito ao trabalho..., são formados!!
Mas já agora, podes perguntar a milhares deles se lhes adianta alguma coisa o serem..., INFELIZMENTE NÃO!

A sorte também se procura, é uma verdade..., mas nem todos têm a mesma! E infelizmente na nossa sociedade também outros factores se levantam!!! E nem sempre quem trabalha tem valor...

Abraço do Catano!

Álvaro Ribeiro disse...

Caro Zé Pedro,

Apesar de a maioria dos comentários serem exagerados, não deixo de concordar com a essência por detrás dos mesmos.
Estar a trabalhar e a receber subsidios é para mim uma falta de civismo, que revela bem a falta de bom senso e falta de moralidade da juventude actual.

O facto de não ser licenciado por outro lado, embora não seja razão para descriminação, revela alguma falta de vontade de ser alguém, já que optou pelo caminho mais fácil. E olhe que falo por mim, quando digo que mesmo sem ajuda monetária da familia, consegui-me formar com bastante esforço.

Por isso, acho que deve sair desse pedestral em que por vezes se coloca e ao invés de se queixar tanto da má sorte e da falta de oportunidades, devia ir á procura delas.

E por último, acho que talvez fosse bom dar mais atenção ao que é mais importante na sua vida, e perder menos tempo com coisas fúteis, que não são nada proveitosas!

Zé Pedro disse...

Caro Álvaro Ribeiro,

"Estar a trabalhar e a receber subsídios é para mim uma falta de civismo, que revela bem a falta de bom senso e falta de moralidade da juventude actual."

O meu amigo sabe o que está a dizer? Deve saber que estando eu no desemprego e tendo o Centro de Emprego me chamado para integrar um Plano Ocupacional, na eventualidade de eu recusar integra-lo, o subsídio de desemprego me era cortado! E a culpa desta situação é da pessoa em questão? E aquelas pessoas com cinquenta e sessenta anos que se encontram na mesma situação, também têm falta de bom senso e de moralidade? Por amor de Deus..., isso é um autêntico disparate!

Acho que falta de moralidade e de bom senso é dizer uma barbaridade destas!

Se me disser que muita gente se acomoda aos subsídios e prefere isso a estar a trabalhar, fazendo tudo por tudo para não ter que aceitar certos trabalhos, concordo a 100% e também me sinto revoltado com isso! Mas felizmente não me revejo nessa gente!

Acredite que troco o raio do subsídio e do plano ocupacional, por um trabalho certo, ou pensa que estou assim porque quero? E olhe que não é por falta de procurar, como o insinua! Procuro e muito...

Quanto à questão do licenciado ou não, desde quando uma pessoa que opta por não se licenciar, independentemente dos porquês, que poderão ser de diversas ordens, "revela alguma falta de vontade de ser alguém"? Só é "alguém quem se licencia? O meu amigo já pensou o que seria se todos fossemos licenciados?

Sim, de facto seríamos um povo muito mais instruído do que o que somos. Concordo plenamente! Mas e o resto? Quem o faria? Pois é...

E por último, quem lhe disse que não dou mais atenção ao que é mais importante na minha vida, por perder tempo com coisas fúteis? Todos perdemos tempo com coisas fúteis, de uma maneira ou de outra...(eu estou neste momento a fazê-lo), mas isso não é sinónimo de deixar de dar importância às coisas mais importante da vida.

Abraço do Catano!

Miguel disse...

Acho que a discussão toda sobre ser licenciado ou não, deve-se mais ao factor de falta de profissionalismo apresentado pela maioria das pessoas que apenas têm cursos profissionais.
Não discuto a necessidade de haver técnicos, mas o problema da maioria das escolas profissionais (e as novas oportunidades) é que são uma forma de contorno e facilitismo. São cursos totalmente oferecidos, que apenas servem para preencher estatísticas, pk de lá em 1000 alunos sai 1 que se torna realmente um técnico.

Zé Pedro se o que contas é verdade, estás no teu "direito" a receber o subsídio. Mas repara nas aspas... Acho lamentável as pessoas acharem este subsídio um direito. Deveria sim ser uma medida extrema apenas atribuída a famílias em real dificuldade. Afinal há quem trabalhe uma vida sem estar no desemprego, e chega à reforma e ganha o mesmo...

E outra coisa, o meu salário é praticamente pago por empresas estrangeiras a quem presto consultoria. Embora a empresa onde trabalho seja nacional, mts vezes estou fora e longe da família, namorada e amigos. Mesmo assim, em descontos retiram 700€!!! do meu salário, que em parte sustentam pessoas como tu.

Num ano, 700€ por mês dava-me para mt coisa... Mas mesmo assim, tu recebes um subsídio e de certeza que tens carro(s), televisões, telemóveis e outras bens não essenciais....

É correcto?

Anónimo disse...

Para reflectir !

http://www.youtube.com/watch?v=q249YeaB-rs&feature=player_embedded

Arnaldo Filho disse...

foi maravilhoso...hauhauhau

Catanices muita lindas:

Blog Widget by LinkWithin